Área de concentração


A concentração dos estudos e da pesquisa na área Política, movimentos populacionais e sociais é orientada pelo entendimento de que a história é um processo de construção humana de grupos sociais que promovem as transformações ao longo do tempo, sendo o político o ponto para onde conflui a maioria das atividades do conjunto social.

O político é aqui pensado tanto na perspectiva de Webber (1963) em relação "à participação no poder, ou às lutas para influir na distribuição de poder, seja entre Estados ou entre grupos dentro de um Estado", quanto de Foucault (1974 e 1988) ao insistir que o poder não se localiza apenas no Estado, mas em várias outras dimensões das relações sociais. Assim, o político se apresenta numa perspectiva global, num movimento que ora dilata e ora encolhe o seu campo (Rémond, 1996) e compreende "o lugar onde se articulam o social e sua representação, a matriz simbólica onde a experiência coletiva se enraíza e se reflete ao mesmo tempo" (Rosanvallon, 1995).

Esse entendimento manifesta-se na articulação da política com os movimentos populacionais, compreendidos como processos das ocupações humanas pela conquista de territórios e da natureza, processos que comportam diferentes formas de apropriação dos lugares onde os sujeitos sociais transitam, atribuem significados e elaboram representações. Os movimentos populacionais assim percebidos remetem aos estudos do espaço como o lugar e o signo das relações humanas, das representações do mundo real, da identidade cultural e da multiplicidade étnica, e que também abarcam as mudanças e as permanências pelos valores e modos de uso. A conexão desses dois campos com os movimentos sociais se dá na medida em que entendemos esses movimentos como as diversas formas de ação, de organização formais e informais e de conflito social e a expressão destas no campo da política e do poder. Tanto os movimentos populacionais quanto os sociais são estudados a partir da dinâmica que lhes é característica e das diferentes correntes de pensamento que buscam explicá-los.
Tais orientações interpretativas perpassam as três linhas de pesquisa que formam a área e que têm a preocupação em se valer de uma ampla e atualizada historiografia para a análise dos modelos teóricos que as fundamentam, em buscar a precisão conceitual e metodológica para o trato de fontes diferenciadas e assim orientar os estudos empíricos com vistas ao aprofundamento dos estudos no nível de ensino postulado

 



Programa de Pós-Graduação em História | Universidade Estadual de Maringá
Fone: (44) 3011-4857 | Fax: (44) 3011-4895 | e-mail: sec-pph@uem.br
Desenvolvido por Bruno Frota